quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Da paixão...

Desde que me conheço como adulta que uma das minhas paixões é a grande temática EDUCAÇÃO.

Aliás nem consigo conceber que alguém faça de educar uma profissão para a vida sem se sentir mágica e irremediavelmente envolvido...

Passeando, como habitualmente faço, pelos blogues que vou seleccionando como "favoritos", pasmei com este post de José Fanha.

Vale a pena ler!

Excesso de paixão

Deixo a pergunta que a mim me incomoda, nos tempos que vão correndo:

Porque será que a escola se está, dia-a-dia, a esvaziar de paixão?
O que acontece de facto a gerações e gerações de crianças e jovens que são educados, instruídos, ensinados - usem, por favor, a terminologia que vos parecer mais adequada - por executantes de programas, preenchedores de fichas, participantes passivos em infindáveis reuniões?

Ou estarei a ler mal a "actual conjuntura" do que acontece , não direi na totalidade, mas com grande incidência, nas nossas escolas?

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Resposta de amizade...


Wordle: sempre... insistir!

Fiz a pensar em ti, mas, como tudo o que fazemos, pensamos, dizemos e não dizemos... é sempre, e também, e necessariamente, mensagem, recado, nota para nós mesmos...

E assim tecemos (e refazemos) quem somos...

Insistir
SEMPRE!
Desistir, nunca.
Insistir... e que seja como colorir.
Com as cores todas da insistência!
Com as cores únicas da urgência.
E sorrir, sorrir sempre,
sorrir um sorriso
que logo ao surgir
nos ilumine por dentro.
A tal ponto, com tal força,
como uma corrente de riso
que lava, ao passar,
todo o desalento.
É um rir,
renovar,
insistir
em dizer, mais e mais,
que estamos
e continuaremos
a estar.

E, para além de tudo, és tu que "me ensinas" esta postura!